Deliberações do Júri

45 Projectos foram escolhidos como finalistas na V edição dos Prémios Ascensores Enor de Arquitectura

 

Após dois dias de deliberações, o júri formado por sete arquitectos e presidido por César Portela, seleccionou 94 projectos dos 350 apresentados e dos mesmos nomeou os finalistas.

 

Fotografías Luis Díaz Díaz

 

Um total de 350 projectos foram apresentados pelos seus autores ao Premio de Arquitectura Ascensores ENOR, numa edição, a V, que coloca de manifesto a solvência e o prestígio deste certame pela numerosa concorrência de participantes. Apesar da crise, que afectou de forma considerável o âmbito da construção e reduziu o número de projectos visados tanto em Espanha como em Portugal nos últimos anos, o número de projectos que entraram a concurso foi idêntico ao da IV edição, celebrada em 2009.

O júri necessitou dos dias de intensas deliberações para realizar, primeiro uma selecção de 94 projectos que conformarão a exposição desta V edição, e posteriormente de esse número escolheu os 45 finalistas que optam ao Grande Premio Ascensores Enor, aos quatro prémios territoriais: Galiza, Portugal, Castela-Leão e Madrid, e ao Premio de Arquitectura Jovem que reconhece a melhor obra realizada por um arquitecto menor de 40 anos de entre todas as apresentadas ao certame.

 

 

O júri está formado por César Portela, que actuou como presidente, Carlos Quintáns, que exerceu funções de secretário, Ángela García de Paredes, Moisés Puentes Rodríguez, Fernando Díaz-Pines Mateo, João Luis Carrilho da Graça e Víctor López Cotelo, na qualidade de vencedor da edição do anterior do prémio. Uma das grandes qualidades deste prémio é, precisamente, a composição do seu júri, que ao longo de todas as edições demonstrou actuar com uma grande independência. Usando palavras do secretário do mesmo, Carlos Quintáns, “existiu um diálogo muito fluido entre todos os membros, o que permitiu que um debate, no qual se manifestam diferentes sensibilidades e enfoques no momento de valorizar os projectos, capaz de decidir perante um volume tão grande de candidaturas.”

 

Dos 45 finalistas, 8 são projectos escolhidos entre os 76 apresentados a concurso da Galiza, seis são de dos 42 procedentes de Madrid, seis igualmente são de entre os 32 que vieram de Castela-Leão, o mesmo número foram seleccionados dos 69 candidatos procedentes de Portugal, e 19 finalistas foram escolhidos entre os 131 projectos apresentados do resto de Espanha.

A dotação económica dos prémios importa em 30.000 euros e tanto os vencedores como os finalistas serão incluídos num livro que já está convertido num clássico da literatura arquitectónica ibérica.

 

 

O Grupo Ascensores ENOR, com sede em Vigo iniciou a convocatória deste premio de arquitectura em 2005, com a intenção de premiar e colaborar na difusão da melhor arquitectura que se projecta e executa na Península Ibérica. A solvência dos júris de cada uma das edições foi um dos traços característicos de um certame no qual existe um grande respeito pelas decisões tomadas em cada edição, respeito que logo se confirma mais tarde, como por exemplo, que um vencedor do Premio Ascensores ENOR de arquitectura, Eduardo Souto Moura, lhe tenha em 2011atribuído o Premio Prizker.

 

© 2014. Grupo Ascensores Enor